0

Parceria entre Judiciário, PUCRS e MP irá desenvolver aplicativo para celular que impulsionará adoções

Nesta terça-feira (19/9), às 16h, Poder Judiciário do Rio Grande do Sul, Pontifícia Universidade Católica do RS (PUCRS) e Ministério Público Estadual assinarão convênio para o desenvolvimento de um aplicativo de celular que possibilitará que os candidatos habilitados à adoção tenham acesso às informações de crianças e adolescentes aptos à adoção no Estado. A cerimônia será realizada no gabinete do Presidente do Tribunal de Justiça do RS, Desembargador Luiz Felipe Silveira Difini, no 13° andar do prédio da Corte (Av. Borges de Medeiros, 1565, Porto Alegre).

A ideia é proporcionar o encontro  entre futuros pais e futuros filhos e, ainda, incentivar a flexibilização do perfil desejado para adoção. O aplicativo permitirá que as famílias que estão no Cadastro Nacional de Adoção (CNA) conheçam os rostos, as características e os sonhos  de muitas crianças e adolescentes que ainda não tiveram a oportunidade de localizar uma família. Hoje, no Projeto Busca-Se(R), da Coordenadoria da Infância e Juventude do RS, só é possível ter acesso a dados básicos como nome, idade, sexo, raça, condições de saúde e situação jurídica, disponibilizados em uma planilha no site da Infância e Juventude do TJRS.

As informações e imagens estarão armazenadas em uma área de acesso restrito, cujo conteúdo estará disponível apenas às pessoas habilitadas à adoção, mediante cadastro e solicitação de acesso, que será fornecido pelo Poder Judiciário. Haverá ainda um espaço destinado ao público em geral, com dados básicos e sem identificação das crianças e adolescentes cadastradas no aplicativo, bem conterá assuntos envolvendo a infância e juventude em geral.

Atribuições

A formalização do convênio é o primeiro passo de uma parceria que se dará em etapas e resultará em um produto inédito no país. O aplicativo faz parte do projeto acadêmico Adoções, inicialmente projetado pelos professores da Apple Developer Academy da PUCRS, e está sendo desenvolvido por alunos da Faculdade de Informática, sob a orientação de docentes – ambos vinculados à Agência Experimental de Engenharia de Software. A identidade visual foi realizada pelo Publicitário Mário Salgado, da Unidade de Imprensa do TJRS.

A previsão é de que a Universidade entregue o protótipo ao Poder Judiciário em 2018. Caberá ao Departamento de Tecnologia da Informação e Comunicação (DITIC) do TJRS fazer a operacionalização e a implantação da ferramenta. O gerenciamento do aplicativo ficará a cargo do Judiciário, através da Coordenadoria da Infância e Juventude do RS, que, entre outras atribuições, disponibilizará conteúdo informativo e os dados das crianças e adolescentes, bem como definirá regras e requisitos a serem implementados pela ferramenta. Ao Ministério Público gaúcho caberá fiscalizar as ações dos usuários quando do acesso do aplicativo e contribuir com o conteúdo informativo.

Fonte: TJRS

Deixe uma resposta

Seu e-mail não será publicado Os campos com * são obrigatórios